Os games que sonhamos ver um dia na E3
Cinco jogos que marcaram uma época e caíram no esquecimento
30/05/12 às 02:53 - Por Vinícios Duarte

A E3 ganhou fama não apenas por ser o maior evento de games do mundo, mas também por ser uma verdadeira caixinha de surpresas. Muitos jogos deram as caras primeiro lá, seja em vídeo ou demo jogável. Dá para listar dezenas de títulos cujo anúncio não era esperado nem mesmo pela imprensa especializada, e é exatamente isso que me faz satisfaz ao cobrir o evento a cada ano que passa. Neste especial vou sonhar "um pouco" e listar os games que gostaria de ver na E3 2012.



Killer Instinct 3

Quem aqui não gastou fichas e mais fichas jogando Killer Instinct no fliperama? Ver lutadores se espancando em cenários 3D amplos com zoom de câmera era mais que o suficiente para encher as casas de arcade. O game da Rare tem um pouco de tudo: personagens bizarros, litros de sangue, fatalities, combos extensos e... CO-CO-CO-COMBO BREAKER! Com o sucesso não demorou pra ganhar uma versão censurada para SNES e uma continuação para arcade, Killer Instinct 2, que depois foi relançado em versão "Gold" para o N64.

Em 2001, a Rare encerrou a parceria com a Nintendo para subsidiar a Microsoft. Juntas até hoje, a produtora inglesa é responsável pelos avatares da Xbox Live e os games Viva Piñata, Banjo-Kazooie: Nuts & Bolts e a série Kinect Sports. Este ano a Rare deve anunciar na E3 um novo game para o Kinect, mas existe um rumor indicando um game adulto para a próxima geração do console da Microsoft. Killer Instinct 3? Rezo de joelhos para que seja verdade...

Battletoads



E por falar na Rare não posso deixar de mencionar Battletoads, um clássico de Beat 'em up que conquistou o mundo na era de ouro do Nintendinho. A franquia dos sapos porradeiros fez tanto sucesso que ganhou uma versão reformulada com novas fases para o Game Boy. Na sequencia veio o crossover com a série Double Dragon (NES, Mega Drive, SNES e Game Boy), Battletoads in Battlemaniacs (SNES e Master System) e um game arcade que permitia três jogadores. Rendeu também uma terrível série animada de tv, que conta os eventos anteriores aos games, e uma HQ.

Infelizmente Battletoads caiu no esquecimento, sendo lembrado apenas em especiais editoriais do tipo "Melhores games de Beat 'em up de todos os tempos", homenagens no YouTube ou coisa do tipo. Para os fãs, Battletoads será lembrado especialmente pela sua dificuldade insana. Aliás, que jogo não era difícil naquela época? Hoje em dia é tudo moleza.

Remake? Sequencia? Que nada... Até as tartarugas voltaram, mas os sapo continuam esquecidos no tempo. Resta torcer para a Rare e a Electronic Arts lembrarem que Rash, Zitz e Pimple estão dispostos a encarar uma nova aventura - mesmo que seja na PSN e Live, com visual cartoon.

Blast Corps



Quem teve um N64, jamais esquecerá este outro game da Rare. Trata-se de um jogo de demolição no qual você usa os mais variados e inventivos veículos para botar construções abaixo. Um jogo tão divertido quanto difícil, uma vez que o desafio é correr contra o tempo limpando a passagem de um caminhão sem freio com mísseis nucleares. Naquela época não havia nada parecido, com tamanha criatividade e explosões.

Guindaste, escavadeira, caminhão, robô gigante... Vale tudo neste game. Agora imagine essa destruição toda com as engines atuais. Será que é pedir demais? Ou a Rare não crê que um novo Blast Corps possa fazer sucesso na nova geração? Ao menos uma coisa é certa: eu compraria com prazer, pois falta jogo deste tipo no mercado.

Syphon Filter



Bem, este não é um game tão antigo assim. O último, Syphon Filter: Logan's Shadow, saiu em 2007 para PSP e PS2. Depois ganhou uma versão apenas com o modo multiplayer, intitulado Combat Ops (PSP, PSN). E de repente sumiu completamente do radar. O que me faz desejar um novo game desta série é a sua mistura certeira de Goldeneye 007 com Metal Gear Solid. Um game com muita ação, taser pra eletrocutar todo mundo, e muita espionagem.

Sim, há outras franquias parecidas por aí: Hitman, Splinter Cell, Tenchu‎, etc. Mas o que difere Syphon Filter dos outros jogos é a forma como as missões são apresentadas, variando entre ação e espionagem a todo momento. Simples assim. Creio que esta franquia mereça uma sequencia ou mesmo um reboot para a nova geração.

Half-Life 3



Em novembro de 2004, saia Half-Life 2 para PC. A Valve revolucionava mais uma vez o gênero FPS com sua nova engine Source, e todos babavam com a física e o visual do game. Não demorou nem dois anos e a Valve lançou Half-Life 2: Episode One. Um game curto se comparado ao original, mas que apresenta uma engine ainda mais lapidada. E um pouco mais de um ano lançaram o Episode Two, que conseguiu superar o episódio anterior em qualidade e diversão. O problema nessa história toda é a ausência de um final, deixando no ar um Episode Three que até hoje não viu a luz do dia.

Por que a Valve não fala em Episode Three ou Half-Life 3? Segundo o chefão Gabe Newell (esse da ilustração acima), é melhor ficar em silêncio até a hora certa de anunciá-lo. Mas sério, o que custa afirmar que o jogo está no forno? Não precisa revelar data, muito menos um teaser trailer. O que me irrita de verdade é esse papinho de "não queremos desapontar os fãs", "criar expectativa antes da hora", blá blá blá... Vão nos desapontar se manterem o silêncio por mais alguns anos, isso sim.

Há muitos outros games que gostaria de ver na E3 2012, mas estes cinco são os que mais desejo. E você? Quais jogos gostaria de ver no evento deste ano?


APOSTA - Se um destes games for anunciado durante a E3 2012, eu raspo o cabelo!

Autor do especial
Vinícios Duarte
Roqueiro e doido por games desde pequeno, trabalha como designer do Portal PlayTV e escreve matérias sempre que sobra um tempinho. Nos games, curte um pouco de tudo mas prefere os gêneros de ação e RPG. Também não perde um bom filme e acompanha o máximo de séries possíveis. Agora quando o assunto é rock, cospe conhecimento sobre os mais variados estilos e tenta acompanhar os principais shows no Brasil.