Top 10 - Os Date Sims mais bizarros do Japão
Namorar nunca foi tão estranho
22/06/12 às 19:57 - Por Julianna Isabele

Em Mass Effect 3, Dragon Age e afins, você tem a opção de ter um interesse amoroso, chegando a acasalar com o mesmo. God of War resumiu o amor em algumas cenas de quick-time-event. Em Fable, você pode até casar. Dá para citar uma diversidade de games ocidentais que falam sobre amor e relacionamentos, de diversas maneiras...mas ah, o Japão. O interesse do mercado oriental em games que simulam namoros é enorme e, de vez em quando, não dá para entender bem o motivo do extremo sucesso dos tais Date Sims, especialmente quando são protagonizados por animais ou possuem cenas escatológicas.


 

10 - Girl's RPG

Existe um tipo de bar no Japão, em que você paga para garotas rirem da suas piadas e fingirem gostar de você - não sabemos direito o motivo, mas esses estabelecimentos não existem por aqui. Girl's RPG é uma simulação disso, em que você é uma dessas garotas e precisa achar roupinhas, vestidinhos e coisas fofuxas do tipo, até encontrar o marido perfeito. Não seria estranho, se o game não fosse focado em garotinhas, que, provavelmente, não deviam saber a triste realidade que é a vida de mentir para homens de 30 anos de idade.

 

 

9 - Girls Bravo: Romance 15's

O game para Playstation 2 é baseado na história que veio dos animes e dos mangás. Yukinari Sasaki, um garoto normal, acabou desenvolvendo uma reação alérgica a mulheres de tanto sofrer bullying das moças - sem motivo aparente. Para a infelicidade do protagonista, Yukinari vai tomar um banho após suas aulas e acaba sendo transportado para um misterioso planeta, chamado Seiren, populado quase que somente por moças esbeltas. Para fechar o jogo, é preciso aprender a desenvolver sua resistência as alergias e ficar com uma de suas pretendentes.

 

 

8 - LovePlus

LovePlus é para os Dating Sims mais ou menos o que Uncharted é para os games de aventura. Além de ter uma arte impecável, o game vem equipado com modelos 3D das bonequinhas das personagens. O teor de imagens para adultos é bem baixo - o máximo que você vai conseguir é sonhar com a sua namoradinha fazendo "coisas". Em geral, Love Plus não é lá muito estranho, é um Dating Sim bem padrão e com personagens que se encaixam em estereótipos básicos. Acontece que um cara no Japão quis casar com uma das garotas e, impressionantemente, ele conseguiu. A gente ainda não sabe como ninguém casou com outros personagens de videogame antes.

 

 

7 - Kana: Little Sister

Acredito que o nome desse game já dê a letra: o papo é incesto. Taka, o protagonista do título, e sua irmã mais nova, Kana, não são realmente irmãos de sangue - mas isso só é explicado lá para o fim da história. A parte mais estranha não é só que os "irmãos" desenvolvem essa relação, a perturbação mora em saber que lá para o final da história, Kana simplesmente morre se você não topar ter uma relação com ela, em um misto de falha renal e tristeza por ter tomado um fora de Taka.

 

 

6 - Otometeki Koi Kakumei Love Revo!!

Protagonizado por Hitomi Sakuragawa, uma garota que sempre ganhava concursos de beleza - até descobrir a mágica dos junk foods. Ao atingir 100 kgs, no segundo ano, a protagonista acabou se mudando de cidade e, por consequência, indo estudar em um novo colégio. Para surpresa da mocinha, os brotos cheios de charme não são tão chegados nas garotas mais recheadas e a solução é emagrecer. Dependendo de quanto peso a protagonista perde, seu pretendente também pode mudar, passando do gatinho mais popular da escola até seu meio-irmão que também já foi gordinho e é mais compreensivo.

 

 

5 - Katawa Shoujo

Sendo um game independente, criado por uma galera que se conheceu por meio do 4chan, Katawa Shoujo já chamava atenção por si. Não demorou para as publicações da arte do título começarem a surgir na rede, mostrando que todas as opções amorosas de Katawa Shoujo possuiam algum tipo de deficiência: uma garota sem as pernas, outra cega, outra com uma cicatriz feita por uma queimadura... Também não demorou para chamarem o game de "coisa de doente". Por sorte, a equipe por trás do game cuidou do assunto de maneira bem delicada na hora de desenvolver o enredo do game, que se passa em uma escola especial para deficientes. Katawa Shoujo, talvez, seja um dos únicos games "estranhos" em um sentido positivo na lista.

 

 

4 - Yume Miru Kusuri: A Drug That Makes You Dream

O game é protagonizado por Kouhei Kagami, um estudante colegial começa a namorar a garota que sofre bullying da sala, Aeka Shiraki - por mais que ela seja um pedaço bem bonitinho de desenho 2D com traço mangá. Acontece que a garota popular do colégio, Kyoka Nanjou,  tem uma quedinha pelo protagonista, que achou que podia passar batido namorando a nerd mais evitada da escola. Seria uma história até engraçadinha, não fosse a decisão de Kyoka de mandar seu namorado estuprar Aeka e bater em Kouhei. O casal, com raiva, decidiu enforcar Aeka após o ocorrido, até a garota ter razões escatológicas para fazer a dupla morrer de rir, impedindo sua própria morte. E tudo fica normalizado outra vez...

 

 

3 - My Sweet Umadonna

Caso você fosse um cavalo de corrida, você não iria gostar de deixar de lado uma das partes boas da vida: namorar com garotas. No web game My Sweet Umadonna, três garotas passam pela sua vida do cavalo e, como qualquer simulador japonês, suas decisões afetam na história e diferentes imagens aparecem - como a foto acima, em que você divide o que parece ser um pedaço de cenoura com uma garota bonitinha.

 

 

2 - My Girlfriend is the President

Era um dia bem normal, até que aliens decidem atacar a Terra e sua amiga de infância e vizinha acabou sendo escolhida como nova presidente do Japão. Agora, cabe a você ajudar na missão de liberar o mundo dos extraterrestres, que, por ironia, são mulheres querendo praticar atos com os quais você nunca sonhou. Vale citar que o game é realista ao ponto de nomear a tal nova presidente do Japão como "Obama", enquanto a moça responsável pela Rússia se chama "Elena Vladimirovna Putin".

 

 

1 - Hatoful Boyfriend

Existe uma linha tênue para o que faz sentido e o que foge completamente dos limites da fé que é possível ter na humanidade. Hatoful Boyfriend pões os jogadores na pele de uma humana, estudante do colégio St. PigeoNation's Institute. Normal, nada de muito estranho. A situação começa a ficar mais complicada quando você percebe que a escola é inteira frequentada por pombos que, aparentemente, conseguem estudar, tem uma enfermaria e fazem todas as atividades normais para os humanos. Se o seu cérebro já quer sair da sua cabeça agora, saiba que a produtora do game, a MIST[PSI]PRESS, colocou imagens do que seriam seus pretendentes como humanos, em forma de desenho - pena que só no primeiro encontro.
 

Autor do especial
Julianna Isabele
Estudante de design de produto e modelagem 3D nas horas vagas, a dona da coluna Sandbox é a favor dos jogos como forma de expressão artística. Considera uma grande baboseira a maioria dos jogos que focam em gráficos realistas - mas vejam bem, sem generalizações. Exímia jogadora de Katamari, é o tipo de pessoa que prefere jogar no Easy sempre que possível.