Música digital desbanca midias físicas pela 1ª vez
01/06/12 às 14:00 - Por Redação

 

A venda de música digital ultrapassou o valor das vendas de formatos físicos pela primeira vez no Reino Unido. O mercado digital do segmento angariou US$135 milhões no primeiro trimestre do ano, o quer representa 55,5% do total do faturamento do setor.

 
A constante queda na venda de CDs já indicava esse caminho, desde 2005, quando a venda de faixas pela internet superou pela primeira vez a venda de singles em CDs na Inglaterra. Na lista dos fatores responsáveis por essa mudança, está a webestrela Lana Del Rey, apontada como uma das artistas que mais influenciaram estes dados. Já a venda de formatos físicos acabaram caindo 15%.
 
Geoff Taylor, chefe executivo da British Phonografic Industry, ressaltou ainda que “esse é um marco significativo na evolução no mercado musical. As gravadoras do Reino Unido estão abraçando a música digital, apoiando a inovação e licenciando cada vez mais novos serviços online e para mobiles do que que qualquer outro país. Logo, a indústria fonográfica tende a a crescer forte por muitos anos". Porém, ele também lembrou que esse resultado terá que se repetir por muitos trimestres até ser possível dizer que o mercado de música cruzou completamente a fronteira para o mundo digital, citando que a demanda por CDs caiu, mas ainda é muito forte no Reino Unido.
 
Parece que a ideia de que as pessoas não comprariam online o que pode baixar de graça não é tão verdade assim.  No Brasil, segundo dados oficiais da ABPD- Associação Brasileira dos Produtores de Discos, o faturamento com a venda de fonogramas digitais era de apenas 8,5 milhões de reais, número que saltou para 54 milhões em 2010 – um avanço de 535%.